Segundo pesquisas do site comparador de preços Zoom,
o mercado brasileiro de smartphones tem um novo modelo favorito. O
posto, que nos últimos anos vinha sendo ocupado pelo Moto G, da
Motorola, agora pertence ao Galaxy J5, aparelho concorrente em preço e
configurações fabricado pela Samsung.

Mas será que o smartphone realmente merece tomar o lugar do chamado “rei do custo-benefício”?

Como todo celular, o modelo intermediário da Samsung tem pontos
positivos e negativos. Comprá-lo ou não é uma decisão que cabe a cada
consumidor e pode mudar de acordo com uma série de fatores. Nesta
quarta-feira, 27, porém, você confere cinco motivos para dar uma chance
ao Galaxy J5.

Confira também os 5 motivos para não comprar o aparelho

Veja Também!  Tela Máxima | Record exibe ‘Zohan: Um Agente Bom de Corte’ neste sábado (13/07)

1 – Preço

O primeiro motivo a se levar em conta na hora de comprar um
smartphone, para muitos usuários, é o valor cobrado pela fabricante.
Embora não seja exatamente barato, o Galaxy J5 tem um preço condizente
com o mercado na faixa intermediária, sem abusar da boa vontade do
consumidor. O preço sugerido é de R$ 950, mas é possível encontrá-lo em
algumas varejistas custando até R$ 100 mais barato.

2 – Design

Num geral, o Galaxy J5 tem a aparência de um celular premium, mesmo
sendo um intermediário. Apesar da traseira de plástico, a lateral
metálica dá um leve toque de sofisticação e brilho ao seu visual, além
de se tratar de um smartphone leve e fácil de carregar no bolso ou na
mão. Tudo com os princípios de design já conhecidos da Samsung.

Veja Também!  Lista | 5 filmes imperdíveis que estreiam ainda em julho

3 – Câmera

Para a sua faixa de preço, a câmera do Galaxy J5 não deixa na mão.
São diversos recursos interessantes, como ajuste manual de foco, balanço
de branco, ajuste de exposição e alteração de ISO. A abertura F/1.9
permite brincar um pouco com a profundidade das fotos, embora ele não
seja muito óbvio. O sensor frontal também pode incrementar suas selfies
com um flash frontal, outro recurso pouco comum na concorrência.

4 – Tela

O AMOLED, usado na tela do Galaxy J5, é uma tecnologia que traz
resultados melhores que o LCD usado em parte da concorrência, como no
Moto G. Principalmente em termos de fidelidade a certas cores. Além
disso, o display de 5 polegadas HD (1280 por 720 pixels) economiza
energia da bateria, já que pixels inativos não são ativados de forma
desnecessária pelo AMOLED.

Veja Também!  Record exibe série ‘CSI: Investigação Criminal’ neste sábado (13/07)

5 – Bateria

Em nossos testes com o Galaxy J5, constatamos que aparelho é mais do
que capaz de levar o usuário por um dia inteiro de uso. Trata-se de uma
das baterias mais duradouras no mercado atualmente, não muito distante
do desempenho que encontramos em modelos top de linha, como o Moto X
Play. E isso com uma bateria consideravelmente menor, de 2.600 mAh, mas
tirando proveito de um software e hardware otimizados para o uso
constante.

Fonte: Olhar Digital

follow us in feedly