Estamos esperando ansiosamente a renovação de The End of the F***king World!

0
105

Embora a primeira temporada de The End of the F***king World tenha sido um sucesso na Netflix, a série ainda não está renovada para a segunda temporada. E esperamos que isso ocorra em breve.
A série acompanha a história de James, um jovem de 17 anos que tem certeza de que é um psicopata. Ele vive sua vida evitando as pessoas ao seu redor e matando pequenos animais. Tudo muda quando Alyssa, também de 17 anos, chega a sua escola. A novata parece ser tão desequilibrada quanto ele e, juntos, os dois roubam um carro e embarcam em uma viagem completamente sem sentido para encontrar o verdadeiro pai da garota.
Listamos cinco motivos para você assistir à série. Confira:
O Ritmo da Série
A premissa da série é um tanto inusitada: uma jovem revoltada e insatisfeita com sua vida decide levar um suposto “amigo” em uma viagem para encontrar seu pai – até aí tudo bem. Porém, o menino só aceita o convite por querer assassinar a companheira de viagem. O que acontece, entretanto, é que, ao longo da série, vamos criando simpatia pelos dois e por seus problemas e, no final, percebemos que eles são apenas dois adolescentes tentando se entender e pertencer a algum lugar.

The End of the Fking World

O Elenco

Alex Lawther, que dá vida a James, ficou famoso por interpretar o jovem Alan Turing no filme O Jogo da Imitação e Kenny no episódio Shut Up And Dance da terceira temporada de Black Mirror. Já Jessica Barden, que interpreta Alyssa, tem 33 títulos em seu currículo. Juntos, os dois nos envolvem em uma narrativa que debate temáticas densas e sérias de forma leve e divertida.

The End of the F****king World

Os quadrinhos

A série é baseada nas histórias em quadrinhos de título homônimo de Charles Forsman, considerado um importante quadrinhista. Séries baseadas em HQs, como The Walking Dead ou Riverdale, são geralmente elogiadas pelo cuidado com a estética e a identidade visual das produções, bem como os diálogos mais sintéticos e dinâmicos – e The End of The F***ing World não é exceção.

A trilha sonora

A trilha sonora indie da produção, que investiu em títulos mais à margem do circuito pop e mainstream, é perfeita em cada momento e é peça essencial para nos inserir no mundo adolescente rebelde dos protagonistas.

follow us in feedly  

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.