Indústria de tecnologia da Índia não quer a venda de iPhones usados no país

0
108

As empresas de tecnologia estão de olho no mercado da Índia, e disputam para se destacar por lá, mas isso não significa que o país vai se contentar com ofertas tentadoras se houver alguma desvantagem à vista. A Índia já rejeitou a internet grátis do Free Basics, oferecida pelo Facebook porque o serviço prende os usuários apenas em conteúdos aprovados pela empresa de Zuckerberg. Agora estão se movendo para bloquear o aplicativo da Apple que permite importar e vender iPhones usados, por receio de que isso poderia prejudicar economia e o meio ambiente do país a longo prazo.

A princípio a ideia da Apple tem suas vantagens. Como na China, o mercado de smartphone da Índia é inundado com dispositivos que custam menos de US$ 100, e a Apple tem dificuldade de penetrar nesse mercado com seus lançamentos de preço premium. Junto com o iPhone SE, que é mais barato, vender iPhones usados poderia ajudar Cupertino em seu objetivo e, ao mesmo tempo, ajudar os consumidores na Índia a obter um dispositivo iOS mais facilmente.

Porém, isso compromete os negócios dos fabricantes locais de smartphone. Um grupo lobista composto por membros da grande indústria escreveu ao governo para opor-se à proposta da Apple. O argumento destes é que o negócio colocaria em risco as empresas locais e basicamente colocaria por água abaixo os esforços que o governo da Índia tem feito para incentivar a fabricação local, através do programa Make in India. Esse grupo inclui empresas como Samsung, Intex e Micromax.

Outro argumento é que a importação de usados aumentaria o lixo eletrônico local. Pilhas e baterias usadas e telas de LCD podem piorar o problema de lixo eletrônico montanhoso que país já enfrenta.

“Milhões de telefones usados importados terão suas baterias substituídas. O que acontecerá com essas baterias, onde elas irão?”, perguntou o Sunil Vachani, presidente de tecnologias da Dixon, cuja montagem de telefones se estende a 1 milhão aparelhos por mês para marcas como a Panasonic do Japão e Gionee da China. “Sou contra qualquer mudança na política em matéria de importação de dispositivos usados.”

O programa Make in India foi lançado em 2014 para ajudar a reduzir a dependência de importação de dispositivos eletrônicos e incentivar as empresas locais a fabricar seus produtos dentro do país. Até agora, o plano tem sido bem sucedido, mas o grupo da indústria diz que se o governo relaxar as regras de importação por causa da Apple, será praticamente uma paródia do programa.

Esta é a segunda vez que a Apple busca a concessão de importação, mas é a primeira vez que foi recebida com maior resistência e oposição. O governo ainda tem que tomar uma decisão sobre o assunto.

Fonte: Tudo Celular

follow us in feedly  

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.