O governo deveria banir o uso de celulares nas escolas?

0
16

Você sabe que o smartphone pode se tornar uma fonte interminável de distrações, por causa das redes sociais, jogos e notificações constantes. Se até os adultos têm problemas em manter a concentração, imagine as crianças e adolescentes.

Talvez seja muito pedir que os jovens sejam responsáveis com o aparelho — mantendo-o guardado durante a aula, por exemplo. Por isso, o governo da França propôs uma solução radical: banir o uso de celulares nas escolas, inclusive nos intervalos.

Foto por AFS USA/Flickr

Jean-Michel Blanquer, ministro da Educação francês, anunciou que os celulares serão banidos das escolas de ensino fundamental e médio, afetando jovens de até 15 anos de idade. Isso valerá a partir de setembro de 2018. Esta é uma promessa de campanha do presidente Emmanuel Macron.

Blanquer diz que isso se trata de uma questão de saúde pública: “hoje em dia, as crianças não brincam mais no intervalo das aulas, estão todas na frente de seus smartphones e, do ponto de vista educacional, isso é um problema”.

De acordo com um estudo da London School of Economics, publicado em 2015, as escolas que proibiram o celular tiveram melhora de 6,4% nos resultados dos exames para seus alunos de 16 anos de idade. Isso equivale a adicionar cinco dias ao ano letivo.

A França proibiu o uso de celulares na sala de aula em 2010. Os alunos precisam manter o aparelho na mochila — mas, aparentemente, eles nem sempre respeitam a regra.

E o smartphone é cada vez mais onipresente entre jovens. Mais de 80% dos adolescentes na França tinham um celular em 2015, contra 20% em 2011. Muitos estudantes ganham o aparelho aos 9 anos, quando começam a ir à escola sozinhos.

Foto por Intel Free Press/Flickr

Mas como as escolas vão, na prática, banir o smartphone? Blanquer diz: “no Conselho de Ministros, colocamos nossos celulares em armários antes de uma reunião. Parece-me que isso é viável para qualquer grupo humano, incluindo uma classe”.

A PEEP, uma associação de pais francesa, discorda. Ela classifica a proibição como “um horrível problema logístico”, dizendo: “vamos imaginar uma escola com 500 alunos: onde vamos armazenar os celulares, e como vamos garantir que cada aluno encontre seu aparelho no final do curso?”.

A cidade de Nova York proibiu celulares nas salas de aula entre 2006 e 2015. Nesse período, surgiram empresas que guardavam o aparelho para estudantes, cobrando cerca de US$ 1 por dia. Talvez o mesmo ocorra na França?

Nova York desistiu de banir celulares após reclamações dos pais, que não conseguiam entrar em contato com os filhos; e porque a regra era aplicada de forma mais rígida em escolas mais pobres, equipadas com detectores de metal. Agora, os alunos podem levar smartphones, mas não podem usá-los durante a aula.

No Brasil, diversos estados proíbem o uso do celular em sala de aula, incluindo Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Distrito Federal, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Uma lei proibia o uso de celulares em escolas estaduais de São Paulo desde 2007. Este ano, ela foi modificada: alunos do ensino fundamental e médio agora podem usar o smartphone durante a aula, para atividades pedagógicas e orientadas pelo professor. Isso inclui um projeto, em fase de testes, para distribuir livros de matemática em formato digital.

Com informações: NPR, Quartz.

O governo deveria banir o uso de celulares nas escolas?

follow us in feedly  

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.