TSE quer proibir bitcoin para financiamento de campanha em 2018

0
25

O crescimento das criptomoedas chamou a atenção do governo, fazendo o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários se pronunciarem. Agora, é a vez do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) colocar o assunto em pauta: a proposta é regulamentar o financiamento coletivo online e proibir o pagamento com bitcoin, ether e outras moedas digitais.

De acordo com a BBC, os ministros do TSE devem votar na segunda-feira (18) um texto que regulamenta a arrecadação e os gastos das campanhas eleitorais em 2018. Pelas regras, fica proibida a utilização de criptomoedas para receber doações ou pagar fornecedores.

Desde 2016, está proibido o financiamento eleitoral por empresas: apenas pessoas físicas podem fazer doações para campanhas eleitorais, até o limite de 10% do rendimento bruto no ano anterior. O problema das criptomoedas é que não há como descobrir facilmente a origem dos recursos, abrindo brecha para que a lei seja descumprida.

E como isso será fiscalizado? Essa é uma boa pergunta: se toda a negociação for realizada em bitcoins, por exemplo, será difícil descobrir a movimentação. Mas, se o dinheiro for convertido para real em algum momento, há como cruzar as informações. Em 2016, com a ajuda dos dados da Receita Federal e do Ministério do Trabalho, o TSE colocou em suspeita um terço dos R$ 3 bilhões arrecadados nas eleições municipais.

TSE quer proibir bitcoin para financiamento de campanha em 2018

follow us in feedly  

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.