20 Curiosidades sobre o Facebook

0
190





1) O usuário tem em média 338 amigos


No Facebook um usuário adulto tem em média 338 amigos. A tendência é que usuários mais jovens tenham maior número de amigos que os mais velhos. Na faixa etária entre 18 e 29 anos, 27% dos usuários têm mais de 500 amigos. Entre os usuários com mais de 65 anos, o número cai para 100.

2) Al Pacino, o primeiro rosto do Facebook

Até 2007, bem antes de o Facebook bombar no Brasil, o rosto do ator Al Pacino aparecia em azul na tela de login. A imagem foi criada por Andrew McCollum, amigo e colega de classe de Mark Zuckerberg.

3) Liberação de fotos com mães amamentando

Após anos da polêmica sobre a publicação de fotos de bebês sendo amamentados, a rede social mudou sua política e passou a permitir que os usuários compartilhem fotos de amamentação, que podem ter seios e mamilos à mostra sem o receio de ter o perfil removido sem aviso. Até junho de 2014, as imagens eram retiradas por exibir conteúdo que poderia ser confundido com pornografia.

4) Hackers tentam invadir contas 600 mil vezes todos os dias

De acordo com o Facebook, diariamente são registradas 600 mil tentativas de invasão a contas cadastradas na rede social. São cibercriminosos tentando acessar mensagens, fotos e outras informações pessoais dos usuários. Ao divulgar os dados a rede social ressaltou a importância do usuário ter cuidado ao escolher sua senha e ao responder a ofertas de supostos amigos na rede.

5) Vício diário

Um levantamento de 2014 do Pew Research mostrou que 64% dos usuários do Facebook visitam o site diariamente. Em 2010, o percentual era de 51%. Nos Estados Unidos, o Facebook é utilizado por 57% dos adultos e 73% dos adolescentes entre 12 e 17 anos.

6) O Facebook causa um a cada três divórcios

O uso intenso do Facebook ajudou a atualizar as definições dos divórcios. Se antes, marca de batom em colarinhos ou ligações estranhas eram causas de desconfiança, hoje o ciúme ganhou mais uma motivação. De acordo com uma pesquisa feita pelo serviço de divórcio online do Reino Unido, a rede social esteve envolvida em uma a cada três separações realizadas no país. Isso se deve ao fato de as informações publicadas no Facebook facilitarem o rastreamento de puladas de cerca, traições antigas e relacionamentos com outras pessoas.

7) A polêmica na manipulação de emoções

O Facebook veio à público para se defender após a divulgação dos métodos de uma experiência feita no feed de notícias de mais de 600 mil usuários para analisar o humor das pessoas diante de posts positivos e negativos.
É possível pegar vírus no Facebook? Veja no Fórum do TechTudo.
As páginas mostravam conteúdo selecionado pelos analistas do Facebook para que eles estudassem o comportamento dos usuários. Porém, o estudo foi feito sem autorização. No entanto, apesar das reclamações, a rede social tem respaldo legal para conduzir a pesquisa, já que o usuário aceita fornecer seus dados para estudos como esse ao criar seu perfil.

8) Mais de 30% dos usuários checam o Facebook após o sexo

Um estudo feito em 2009 mostrou que 36% dos adultos até 35 anos admitiram tuitar, checar o Facebook e mandar mensagens após o sexo. O levantamento foi além e constatou também que 40% dos entrevistados checam redes sociais enquanto dirigem, 64% usam no trabalho e 65% durante as férias.

9) Vício que pode levar à doença

Psicólogos norte-americanos usaram o termo Facebook Addiction Disorder (Desordem de vício em Facebook, em tradução livre) para designar o vício em Facebook e como os usuários têm a vida afetada por conta das atividades na rede social. Entre os efeitos apontados estão a perda de produtividade, superficialidade nas amizades, falta de concentração e isolamento em casos extremos da doença.

10) Quanto menor o acesso ao Facebook, maior são as notas na faculdade

Segundo pesquisa feita pela Ohio State University, estudantes da faculdade que fazem parte do Facebook têm notas significativamente menores dos que aqueles que não são vinculados à rede social. O levantamento foi feito com 219 graduandos e graduados em 2009. Atualmente, como praticamente todos os jovens conectados têm um perfil no Facebook, o resultado pode ser comparado com os que ficam mais ou menos tempo conectados à rede social – e se dedicando mais ou menos aos estudos.

11) Recorde de acesso via app mobile

Em 2014, o Facebook bateu o recorde de mais de 1 bilhão de acessos por meio de aplicativos móveis. Segundo a rede de norte-americana CNBC, o número representa cerca de um sétimo da população da Terra. Entre os aplicativos disponibilizados pela rede social estão o Facebook Messenger, Facebook Pages Manager, Facebook Paper, Instagram, WhatsApp Messenger, além do app oficial que reproduz o Facebook no smartphone e tablet. O WhatsApp é o aplicativo vinculado à rede com maior número de usuários, são 500 milhões de pessoas no mensageiro.

12) Maior que a Índia e o Twitter

Além de ter recorde de acessos por dispositivos móveis, o Facebook conta com 1,3 bilhões de usuários. Isso representa mais que a população da Índia, o segundo país mais populoso do mundo com 1,24 bilhões de habitantes. A rede também possui 1 bilhão de usuários a mais que o Twitter, que conta com 255 milhões de cadastrados acessando o microblog todo mês.


13) Casal foi morto após desfazer amizade no Facebook

Um casal norte-americano foi morto pelo pai de uma mulher após desfazer a amizade no Facebook em 2012. O caso aconteceu no estado do Tennessee quando o casal “excluiu” a jovem de 30 anos, que passou a assediá-los. O pai dela invadiu a residência do casal e atirou nos dois.

14) Monitoramento de suas pesquisas fora da rede social

O Facebook passou a rastrear os sites que você visita até quando você não está logado no serviço. O monitoramento serve para a venda de anúncios segmentados que aparecem na tela dos usuários ao acessar o feed de notícias. Portanto, não se surpreenda quando pesquisar um produto na Internet e pouco depois um anúncio dele aparecer em seu perfil na rede.

15) Inveja dos amigos

Um em cada três usuários do Facebook disse sentir inveja de seus amigos após visitar o site. Segundo pesquisa conduzida por duas universidades alemãs, os êxitos exibidos no Facebook como fotos de férias em locais paradisíacos são a maior causa de ressentimento entre as 600 pessoas entrevistadas. Interações em aniversários, número de curtidas em fotos e posts também são recebidos negativamente.
O mapeamento mostrou que quem está na casa dos 30 anos tem maior propensão a invejar a felicidade da família. Entre as mulheres o ressentimento é maior em relação a aparência e forma física das outras.

16) Azul é a cor mais quente

Mark Zuckerberg contou à revista norte-americana The New Yorker que a cor predominante no Facebook é o azul pelo fato de ele ser daltônico e ter dificuldade para diferenciar as cores verde e vermelho. “Azul é a cor mais rica para mim, eu posso ver todo o azul”, disse Zuckerberg.

17) Um futuro com mais mortos do que vivos

Atualmente o público do Facebook é formado por adultos e adolescentes, mas em 2060 e depois em 2130, haverá mais gente morta do que viva na rede social. A explicação, segundo o site What If, é baseada na taxa de crescimento da rede social e no envelhecimento dos usuários ao longo do tempo. E mesmo que o Facebook suspenda a criação de perfis, o número de mortes vai continuar a crescer. Não se sabe, porém, se o Facebook vai sobreviver até; o Orkut, por exemplo, já foi.

18) Atalho para o perfil de Zuckerberg

Ao acrescentar “/4” (sem aspas) no final da URL do Facebook, a página é redirecionada ao perfil de Mark Zuckerberg. Os números 5, 6 e 7 após a barra levam aos perfis de Chris Hughes, Dustin Moskovitz e Arie Hasit. Os dois primeiros são co-fundadores do Facebook e junto com Hasit foram colegas de quarto de Zuckerberg em Harvard. Cada usuário tem um número de perfil, os primeiros, claro, dizem respeito aos também primeiros usuários. Vale fazer um teste – alguns já não existem mais.

19) O mistério do botão Cutucar

A ferramenta para cutucar outro usuário nunca foi oficialmente explicada pelo Facebook. Não se sabe se representa um “oi” ou se é um flerte. No livro “The Facebook Effect” o autor David Kirkpatrick menciona uma entrevista de Zuckerberg sobre o botão que “não tem nenhum propósito específico”.

20) Velha profissão, novos negócios

Muitas vezes chamada de “a profissão mais antiga do mundo” a prostituição também se vale das redes sociais para crescer. Um estudo de 2011 da Universidade de Columbia constatou que 83% das prostitutas de Nova York possuem páginas no Facebook para oferecer seus serviços online.]

Fonte: Tech Tudo

follow us in feedly  

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.