Anatel anuncia medidas de combate a roubo e furto de celular

0
138

Até ontem, quando você tinha um telefone celular perdido, roubado ou furtado, precisava informar o número do IMEI do aparelho (uma sequência que funciona para identificar o gadget de maneira específica, tal qual o chassi de um carro) à operadora de telefonia. A partir desta terça-feira (8), isso mudou e basta informar o número da linha telefônica para realizar o bloqueio de um aparelho.

A novidade foi anunciada hoje pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e inclui ainda a possibilidade de iniciar o processo de bloqueio do aparelho ainda na delegacia de polícia, no momento em que a vítima faz o registro da ocorrência. Neste momento, apenas as polícias civis da Bahia, do Ceará e do Espírito Santo possuem acesso ao sistema de bloqueio. Em breve, o mesmo recurso estará disponível para as polícias civis de Goiás, do Mato Grosso, do Rio de Janeiro e de São Paulo, bem como para a Polícia Federal. Polícias de demais estados interessadas na ferramenta devem entrar em contato com a Anatel.

A mesma possibilidade de antecipar o bloqueio de aparelhos é estendida a lojistas e transportadores, que podem realizar o processo direto da delegacia de aparelhos roubados ou furtados de lojas ou caminhões responsáveis pelo transporte de celulares, por exemplo. Contudo, neste caso, ainda será necessário informar o IMEI de cada gadget, afinal os aparelhos ainda não teriam sido associados a nenhuma linha telefônica.

“O objetivo das medidas é eliminar a utilidade dos celulares furtados e roubados, o que certamente contribuirá para inibir crimes contra pessoas, estabelecimentos comerciais e veículos de transporte de carga”, informou o presidente da Anatel, João Rezende, durante a entrevista coletiva sobre as inovações.

Como funciona o bloqueio

Quando alguém tem o telefone celular roubado, extraviado ou furtado e solicita o bloqueio junto à operadora de telefonia, a companhia registra o código de identificação do aparelho junto ao Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI), sistema coordenado pela Anatel e administrado pelas prestadoras de serviços de telefonia móvel. Atualmente, este banco de dados conta com informação de 6,5 milhões de aparelhos, que não podem mais ser utilizados.

O CEMI foi integrado à base mundial de celulares, administrada pela GSMA, em dezembro de 2014. Ele oferece uma página na web para você conferir se o seu aparelho roubado, furtado ou perdido foi bloqueado de fato e também para verificar se o gadget usado que você vai comprar não foi inutilizado dessa forma. Para descobrir, basta informar o IMEI do aparelho — a sequência numéria aparece na caixa e na nota fiscal do aparelho, mas, se preferir, digite a sequência *#06# no próprio celular para obter o código.

Fonte: CanalTech

follow us in feedly  

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.